O deputado João Paulo Cunha (PT-SP) será o relator da medida provisória 443, que permite ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal adquirir carteiras de créditos de instituições financeiras. A designação foi feita hoje pelo presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP).

João Paulo, ex-presidente da Câmara no período de 2003 a 2005, foi acusado de suposto envolvimento no escândalo do mensalão (esquema que envolvia o pagamento de propinas a deputados em troca de apoio a projetos do governo). No julgamento, o deputado foi absolvido pelo plenário da Câmara.

A MP 443 está em tramitação na comissão mista do Congresso e chega à Câmara do dia 5 de novembro, próxima quarta-feira, quando poderá entrar na pauta de votações. O prazo de emendas à esta MP terminou na terça-feira. Foram apresentadas 111 emendas propondo alterações no texto original do governo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.