O 41º New Orleans Jazz and Heritage Festival anunciou nesta semana a programação do segundo fim de semana do festival, que acontece de 29 de abril a 2 de maio. Foram confirmadas as apresentações de Pearl Jam, Aretha Franklin (que deu ‘cano’ no ano passado, sendo substituída por Neil Young), Van Morrison, B.

B. King, Irma Thomas, Jeff Beck, The Neville Brothers, The Dead Weather, Elvis Costello & the Sugarcanes, Gil Scott Heron, entre outros mais de 200 artistas.

No primeiro fim de semana, de 23 a 25 de abril, estarão em cena George Clinton and Parliament/Funkadelic, Lionel Richie, Anita Baker, Allman Brothers Band, My Morning Jacket, Dr. John, Darius Rucker (líder do grupo Hootie & the Blowfish), The Black Crowes, Blind Boys of Alabama, Terence Blanchard, Steel Pulse, Jonny Lang, Drake, o senegalês Baaba Maal e mais uns 200 artistas.

Comemorando suas quatro primeiras décadas de existência (a primeira edição foi em abril de 1970), o Jazzfest de New Orleans está cheio de velhos ativistas das causas sociais e raciais e também de excentricidades musicais (caso do ator Steve Martin, tocando banjo e cantando, que se apresenta com sua banda Steep Canyon Rangers).

Além da Rainha do Soul, Aretha Franklin, e do baixinho irlandês Van Morrison, que são estrelas de primeira grandeza e já frequentaram os palcos dos festivais, há vários estreantes. A banda Pearl Jam, liderada por Eddie Vedder, é um deles, além de My Morning Jacket, Anita Baker, Gipsy Kings, The Levon Helm Band, o rapper Drake e o guitarrista Jonny Lang. Outro estreante é Darius Rucker (o líder do grupo Hootie & the Blowfish), que mudou de rumo na carreira-solo e se tornou o segundo negro na História a ganhar um prêmio (também está indicado para um Grammy) na categoria de Country Music (o outro foi Charley Pride, premiado em 1971 e 1972).

Escritor e músico, Gil Scott Heron, autor do hino contracultural "Revolution Will Not Be Televised" e do livro "Abutre", é uma das muitas estrelas oriundas do ativismo na afirmação racial. "É muito bacana que o Jazzfest esteja apto a abraçar todas essas coisas diferentes, esses diferentes artistas", disse Quint Davis, o organizador do festival, às agências internacionais. Do jazz ao rock, do pop ao gospel, do R&B à música eletrônica, o cardápio é sempre muito variado. "Temos jazz no nome, mas não é só jazz", diz Davis. Mais de 80% das atrações são artistas oriundos da Louisiana, como os The Neville Brothers, Irma Thomas, Pete Fountain, Dr. John, o rapper Juvenile, Trombone Shorty e Buckwheat Zydeco. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.