Jazzfest anuncia Pearl Jam, Aretha Franklin e B.B. King

O 41º New Orleans Jazz and Heritage Festival anunciou nesta semana a programação do segundo fim de semana do festival, que acontece de 29 de abril a 2 de maio. Foram confirmadas as apresentações de Pearl Jam, Aretha Franklin (que deu ‘cano’ no ano passado, sendo substituída por Neil Young), Van Morrison, B.

Agência Estado |

B. King, Irma Thomas, Jeff Beck, The Neville Brothers, The Dead Weather, Elvis Costello & the Sugarcanes, Gil Scott Heron, entre outros mais de 200 artistas.

No primeiro fim de semana, de 23 a 25 de abril, estarão em cena George Clinton and Parliament/Funkadelic, Lionel Richie, Anita Baker, Allman Brothers Band, My Morning Jacket, Dr. John, Darius Rucker (líder do grupo Hootie & the Blowfish), The Black Crowes, Blind Boys of Alabama, Terence Blanchard, Steel Pulse, Jonny Lang, Drake, o senegalês Baaba Maal e mais uns 200 artistas.

Comemorando suas quatro primeiras décadas de existência (a primeira edição foi em abril de 1970), o Jazzfest de New Orleans está cheio de velhos ativistas das causas sociais e raciais e também de excentricidades musicais (caso do ator Steve Martin, tocando banjo e cantando, que se apresenta com sua banda Steep Canyon Rangers).

Além da Rainha do Soul, Aretha Franklin, e do baixinho irlandês Van Morrison, que são estrelas de primeira grandeza e já frequentaram os palcos dos festivais, há vários estreantes. A banda Pearl Jam, liderada por Eddie Vedder, é um deles, além de My Morning Jacket, Anita Baker, Gipsy Kings, The Levon Helm Band, o rapper Drake e o guitarrista Jonny Lang. Outro estreante é Darius Rucker (o líder do grupo Hootie & the Blowfish), que mudou de rumo na carreira-solo e se tornou o segundo negro na História a ganhar um prêmio (também está indicado para um Grammy) na categoria de Country Music (o outro foi Charley Pride, premiado em 1971 e 1972).

Escritor e músico, Gil Scott Heron, autor do hino contracultural "Revolution Will Not Be Televised" e do livro "Abutre", é uma das muitas estrelas oriundas do ativismo na afirmação racial. "É muito bacana que o Jazzfest esteja apto a abraçar todas essas coisas diferentes, esses diferentes artistas", disse Quint Davis, o organizador do festival, às agências internacionais. Do jazz ao rock, do pop ao gospel, do R&B à música eletrônica, o cardápio é sempre muito variado. "Temos jazz no nome, mas não é só jazz", diz Davis. Mais de 80% das atrações são artistas oriundos da Louisiana, como os The Neville Brothers, Irma Thomas, Pete Fountain, Dr. John, o rapper Juvenile, Trombone Shorty e Buckwheat Zydeco. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG