Jarbas se diz surpreso com agilidade de Sarney em pedir apuração sobre suposta espionagem

BRASÍLIA - O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) disse nesta quinta-feira ter ficado surpreso com a agilidade do presidente José Sarney (PMDB-AP) em pedir à Polícia Federal que investigue a suspeita de que estaria sendo espionado por uma empresa internacional.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

De acordo com Jarbas Vasconcelos, desde que disse à revista 'Veja' de que a maioria do PMDB é corrupta, ele está sendo espionado, fato alertado por um amigo pernambucano que teria sido convidado a trabalhar nas investigações sobre o senador. 

Hoje, Jarbas pretendia ir à tribuna do Senado para pedir abertura de inquérito sobre o caso. Porém, ainda nesta segunda-feira, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), pediu ao ministro da Justiça, Tarso Genro, que cobrasse da Polícia Federal uma investigação sobre a suposta espionagem.  

Segundo Jarbas, Sarney só não receberá um sincero elogio porque acha que o presidente distorceu suas declarações, ao afirmar que denunciei uma investigação contratada por integrantes do PMDB.

Não fiz em momento algum essa declaração. Não citei o Partido [o PMDB], sua direção, ou qualquer dos seus integrantes, apesar de haver sido ameaçado publicamente por vários deles. Só acusaria alguém se possuísse provas e custo acreditar que tal iniciativa pudesse ter origem no Senado Federal, alegou Jarbas.  

José Sarney rebateu as críticas do correligionário afirmando que não citou declarações de Jarbas em momento algum nos ofícios encaminhados ao ministério da Justiça cobrando investigação, e que apenas anexou a matéria da revista 'Veja' ao documento.

    Leia tudo sobre: jarbas vasconcelos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG