Iveco prevê vender 11 mil caminhões este ano

O cenário de queda acentuada nas vendas de caminhões traçado com o agravamento da crise financeira mundial não deverá se confirmar. A Iveco, fabricante de caminhões do Grupo Fiat, acredita que o volume de vendas para este ano chegará a 11 mil unidades, pouco inferior ao do ano passado, quando a empresa comercializou 12 mil unidades.

Agência Estado |

"Será um ano melhor que 2007, que foi o segundo melhor ano da empresa", apontou.

O diretor comercial da empresa, Alcides Cavalcanti, atribuiu a retomada das vendas à desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre o produto, cuja alíquota chegava a 5%, além de outras medidas anunciadas pelo governo federal para incrementar a demanda. "A redução do IPI não trouxe resultado imediato, mas a partir de junho, com as mudanças nas linhas de financiamento do Finame e programa Procaminhoneiro, as vendas começaram a crescer", disse o executivo.

A participação da Iveco no mercado brasileiro de caminhões - que no ano passado comercializou 142 mil unidades - chegou a 8% em 2008. De acordo com o executivo, os sinais de recuperação dados por setores como construção civil, siderurgia e agricultura poderão movimentar ainda mais este setor a partir do ano que vem. "O ideal seria que a redução do IPI fosse prorrogada, já que agora o mercado vem retomando as compras e renovando as frotas", apontou.

Hoje a Iveco inaugurou oficialmente uma linha de caminhões pesados e semipesados na unidade de Sete Lagoas, região central de Minas Gerais, que irá triplicar a capacidade produtiva de 6 mil para 20 mil caminhões pesados e semipesados por ano, que demandaram investimentos de R$ 80 milhões.

Com esta nova unidade, a capacidade instalada total na fábrica de Sete Lagoas passará para 70 mil unidades/ano. A fabricação irá envolver os modelos Iveco Stralis, Iveco Trakker e Iveco Cursor, que foi lançado ontem pela companhia. Serão também produzidos os semipesados Iveco Tector e Eurocargo. O diretor comercial explica que a ocupação da capacidade instalada virá aos poucos, com o incremento da demanda no futuro.

A Iveco possui um programa de investimentos de R$ 570 milhões entre 2007 e 2011. A meta da empresa é lançar dois produtos por ano, além de fortalecer a rede de concessionárias e aumentar a fatia de mercado entre 1% e 1,5% ao ano. No início da crise financeira, em dezembro, a Iveco concedeu férias coletivas de 30 dias aos seus empregados a partir de 15 dezembro. Permaneceram na fábrica apenas os funcionários responsáveis pela conclusão da nova unidade de caminhões pesados. A retração da demanda, no entanto, levou a empresa a prorrogar por duas vezes o período de férias coletivas em Sete Lagoas, que retomaram as atividades em março.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG