convocação pelo governo italiano de seu embaixador no Brasil, Michele Valensise, para consultas sobre o caso Cesare Battisti, mas avaliou que a decisão representa um ¿instrumento de decisão diplomática comum¿ entre países." / convocação pelo governo italiano de seu embaixador no Brasil, Michele Valensise, para consultas sobre o caso Cesare Battisti, mas avaliou que a decisão representa um ¿instrumento de decisão diplomática comum¿ entre países." /

Itamaraty diz que convocação de embaixador italiano é instrumento comum de diplomacia

BRASÍLIA - A assessoria de imprensa do Ministério das Relações Exteriores informou que o Itamaraty não vai comentar a http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2009/01/27/italia+convoca+embaixador+no+brasil+para+consultas+apos+caso+battisti+3646925.html target=_topconvocação pelo governo italiano de seu embaixador no Brasil, Michele Valensise, para consultas sobre o caso Cesare Battisti, mas avaliou que a decisão representa um ¿instrumento de decisão diplomática comum¿ entre países.

Agência Brasil |

Em nota divulgada nesta terça (27), o Ministério do Exterior da Itália informou que a decisão de chamar Valensise a Roma foi tomada após reunião com o primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi. O comunicado italiano se refere ao desenrolar do processo de extradição de Cesare Battisti como uma grave decisão por parte do governo brasileiro e, em especial, do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza.

A assessoria do Itamaraty chegou a fazer comparações ao período de relações conturbadas enfrentado por Brasil e Equador no ano passado e lembrou que o governo brasileiro, na época, também tomou a decisão de convocar seu embaixador no país vizinho para consultas.

Antonino Marques Porto, embaixador brasileiro em Quito, foi convocado depois que o presidente equatoriano, Rafael Correa, anunciou que iria recorrer à Câmara de Comércio Internacional de Paris contra o empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a construção da Hidrelétrica de San Francisco. O governo equatoriano alegou problemas na estrutura da usina, a cargo da construtora brasileira Odebrecht.

Leia mais sobre: Cesare Battisti

    Leia tudo sobre: cesare battisti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG