RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo da Itália protocolou na segunda-feira no Supremo Tribunal Federal (STF) manifestação sobre o pedido de liberdade feito pela defesa de Cesare Battisti no processo de extradição. O prazo para a manifestação terminava nesta segunda-feira. Battisti cumpre prisão preventiva na penitenciária de Papuda, em Brasília, desde 2007, para fins de extradição solicitada pelo governo da Itália. O italiano foi condenado pela Justiça italiana por quatro homicídios que teriam sido cometidos entre 1977 e 1979. Battisti nega a autoria dos crimes.

Com a decisão do ministro da Justiça, Tarso Genro, de conceder refúgio político a Battisti, a defesa do italiano pede a sua libertação imediata.

O relator do caso no STF, Cesar Peluso, garantiu o direito da manifestação italiana, reconhecendo o direito do país.

"O Estado requerente (Itália) é parte neste processo, que, instaurado a seu pedido, não pode deixar de atender, em certos limites, às exigências do contraditório", disse o ministro em despacho de 29 de janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.