Supremo desobriga juiz de comparecer a CPI das Escutas para prestar depoimento" / Supremo desobriga juiz de comparecer a CPI das Escutas para prestar depoimento" /

Itagiba acusa STF de cercear trabalho da CPI

BRASÍLIA - O presidente da CPI dos Grampos, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), acusou nesta quarta-feira o Supremo Tribunal Federal (STF) de cercear as investigações da comissão ao conceder um habeas corpus para que o juiz da vara criminal de Itaguaí (RJ), Rafael de Oliveira Fonseca, não fosse obrigado a depor aos deputados nesta quarta-feira. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/22/supremo_desobriga_juiz_de_comparecer_a_cpi_das_escutas_para_prestar_depoimento_2061503.html target=_blankSupremo desobriga juiz de comparecer a CPI das Escutas para prestar depoimento

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Existe um certo corporativismo entre as instâncias judiciárias para que o estado policial não seja investigado, observou Itagiba.

O juiz Rafael Fonseca foi convocado à CPI a pedido do relator da comissão, deputado Nelson Pelegrino (PT-BA), após a comissão constatar que ele autorizou cerca de 1.110 pedidos de escuta telefônica da Polícia Federal em investigações sobre crimes de roubo de carga, seqüestro e tráfico de drogas.

A CPI suspeita que a Justiça de Itaguaí, cidade portuária às margens da rodovia Rio-Santos, também tenha autorizado grampos para outras regiões, o que seria ilegal.

Esta não foi a primeira vez que a Suprema Corte freou as investigações da CPI dos Grampos sobre a prática de interceptação ilegal no País. No último dia 15, o ministro Cezar Peluso, do STF, negou ao colegiado acesso aos dados das operadoras de telefonia com informações sobre grampos.

Dois meses antes, o Supremo também negou à CPI o acesso a informações sigilosas da Operação Satiagraha, ação da Polícia Federal que investigou o sócio-fundador do Opportunity, Daniel Dantas.

Aqui se pretende apurar, mas me parece que mais uma vez o Supremo impediu o trabalho da CPI, lamentou Marcelo Itagiba. Segundo ele, a comissão esperará que o hábeas corpus concedido ao juiz Rafael Fonseca seja julgado em definitivo pelo plenário do STF para que os deputados possam tentar aprovar mais uma vez o pedido de convocação de Fonseca para depor à CPI.

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Leia tudo sobre: cpi dos grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG