Isabella: habeas não deve ser aceito, diz promotor

O promotor Francisco Cembranelli, que cuida do caso da morte da menina Isabella Nardoni, afirmou hoje em entrevista para a TV Globonews que está confiante de que o pedido de habeas-corpus que pode ser feito hoje pela defesa do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da criança, não deve ser aceito pela Justiça. Eu estou seguro de que este habeas-corpus a ser impetrado pelos advogados não terá sucesso.

Agência Estado |

A prisão será mantida porque está bem fundamentada", afirmou.

Para Cembranelli, a manutenção do casal na prisão garantirá maior rapidez no julgamento do caso. Ele afirmou que trabalha para que Alexandre e Anna Carolina sejam julgados ainda neste ano. "Ninguém atropelará absolutamente nada. Nós teremos respeito pelo trabalho a ser desenvolvido pelos advogados, mas eu entendo que a sociedade tem o direito de ter rapidamente satisfeita a sua pretensão de um julgamento justo, um julgamento correto, que possa apresentar um resultado compatível com o interesse social", disse.

O promotor explicou ainda os passos que serão adotados de agora em diante no caso. "Já foi designada a data para o interrogatório dos acusados, que acontecerá no próximo dia 28 e, em seguida, o juiz designará a data para início da instrução, ocasião em que primeiramente serão ouvidas as testemunhas arroladas na denúncia. São 16, mais três que eu requeri como sendo do juízo e, após a realização dessa prova, a defesa terá a oportunidade de apresentar suas testemunhas numa audiência semelhante", afirmou Cembranelli.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG