Irritado, Pimentel considera erro cúpula do PT barrar aliança com PSDB

O prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), reagiu com irritação à decisão da Comissão Executiva Nacional do PT de vetar a aliança do partido com o PSDB na eleição municipal. Em nota divulgada nesta sexta-feira, Pimentel classificou a decisão como politicamente equivocada e estatutariamente não embasada.

Agência Estado |


AE
asasasasas
Proibição frustrou planos de Aécio
O prefeito prometeu, "como militante do partido", usar de "todos os recursos disponíveis" para reverter a proibição, "fazendo prevalecer a decisão soberana dos delegados eleitos pelo voto direto da base do partido em Belo Horizonte."

Pimentel atribuiu a resolução da comissão "ao profundo desconhecimento da direção nacional do partido em relação à realidade" da relação entre petistas e tucanos na capital e no Estado.

A aliança entre PT e PSDB vinha sendo articulada desde meados do ano passado entre prefeito e o governador tucano Aécio Neves, tendo o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Márcio Lacerda (PSB), como nome de consenso para a cabeça-de-chapa. O PT indicaria o vice: o deputado estadual Roberto Carvalho, do grupo ligado a Pimentel.

Aécio

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), recebeu a notícia com "surpresa", mas também com "tranqüilidade", conforme disse o deputado federal Júlio Delgado (PSB), após se reunir com o governador no Palácio da Liberdade para discutir o assunto.

Delgado considerou a decisão uma "retaliação" e uma "deselegância" do PT nacional com o PSB. Para o deputado, o PT desconsiderou as instâncias locais dos partidos.

Ele adiantou que na capital mineira o PSB permanecerá ao lado de Aécio, prevendo que o PT deverá ficar "isolado" na disputa eleitoral. "A nossa opção é clara, vamos ficar no projeto do governador Aécio, que interessa nesse momento a Belo Horizonte, a Minas Gerais e ao Brasil".

Delgado disse também que já havia feito contato com o presidente nacional da legenda, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos - "parceiro nesse projeto" -, e com o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), que "trabalhou muito" para que a aliança se viabilizasse.

"A valorização do PSB como elo de ligação da base de Brasília com a base de Minas e esse corte nesse momento deixa claro uma manifestação no sentido de não considerar que o PSB seja um parceiro importante."

Leia mais sobre: PT - PSDB  - Eleições municipais

    Leia tudo sobre: eleições municipais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG