Irmão de Requião pode continuar no cargo, decide STF

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmaram hoje que Eduardo Requião, irmão do governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), pode continuar no cargo de secretário de Transportes do Estado. Eles concluíram que nesse caso não há nepotismo porque o cargo é político.

Agência Estado |

Os ministros rejeitaram uma reclamação na qual era sustentado que a presença de Eduardo Requião no governo seria um ato de nepotismo, vedado por uma súmula recentemente aprovada pelo plenário da Corte. Segundo os ministros, a súmula refere-se a cargos de natureza administrativa e não política.

No mês passado, Eduardo Requião já tinha obtido o direito de ficar na Secretaria de Transportes do Paraná por meio de uma liminar concedida pelo vice-presidente do STF, Cezar Peluso. Hoje, o plenário do Supremo confirmou a liminar. O julgamento foi marcado por protestos de ministros da Corte contra notícia divulgada no Paraná de que a liminar teria sido encaminhada aos advogados no dia 23, antes mesmo de sua assinatura, no dia 25. O STF negou que isso tenha ocorrido.

Na sessão de hoje, os colegas de Peluso no Supremo fizeram questão de repudiar as insinuações e elogiar o vice-presidente da Corte. O ministro Menezes Direito chegou a dizer que fatos como esse afastam os juízes dos advogados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG