IPT recomendou inspeção periódica na Renascer

O Instituto de Pesquisa Tecnológica (IPT) encaminhou ontem à Polícia Civil e à Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo os relatórios técnicos emitidos entre 1999 e 2000 sobre a cobertura da sede internacional da Igreja Renascer em Cristo, no Cambuci, centro de São Paulo. No último relatório havia a recomendação para que o local fosse inspecionado periodicamente.

Agência Estado |

Em nota, o IPT ressaltou que "após a data de 15 de fevereiro de 2000, não teve mais acesso à referida estrutura". O instituto esclareceu que as vistorias eram contratadas pela Renascer e depois de 2000 não recebeu mais pedidos para fazer a inspeção.

O instituto elaborou o primeiro documento em 9 de fevereiro de 1999. Depois de inspecionar a estrutura do telhado, o órgão recomendou a interdição do prédio até a adoção de medidas corretivas. No dia 22 do mesmo mês, um relatório técnico final apontou os defeitos da cobertura e as medidas necessárias para garantir a segurança do local.

Em 15 de fevereiro de 2000, após a execução de uma reforma pela Renascer, concluiu-se em outro relatório que "a segurança está restabelecida nas condições específicas atuais. No entanto, esta segurança precisa ser verificada ao longo do tempo, inspecionando-se periodicamente, para detectar possíveis danos causados à estrutura de madeira por fadiga, desgaste físico, biodeterioração e eventual sobrecarga não prevista".

Neste último relatório, segundo o comunicado do IPT, havia a ressalva de que a estrutura de madeira atendia aos requisitos de segurança, desde que fossem efetuadas inspeções periódicas. O instituto recomendava, ainda, uma série de ações de manutenção, entre elas a limpeza das calhas e a eliminação de qualquer fonte de umidade.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG