Iphan vai acelerar processo de tombamento de Paraitinga

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) decidiu acelerar o processo de tombamento de São Luís do Paraitinga, no interior de São Paulo, como estratégia para reconstruir a cidade, parcialmente destruída pelas enchentes do começo do ano. O dossiê de tombamento será apresentado na primeira reunião do conselho consultivo do órgão, prevista para março.

Agência Estado |

Sob o argumento de que o patrimônio histórico de Paraitinga corre sérios riscos, a prioridade no tombamento da cidade pode colocar à disposição da administração e da sociedade ferramentas permanentes para financiar obras e fomentar atividades culturais da região.

Entre esses instrumentos estão o financiamento para a reconstrução de imóveis privados a juros zero, a promoção de atividades econômicas ligadas à cultura da cidade, caso das marchinhas, blocos carnavalescos e grupos folclóricos, além da requalificação urbana.

"O maior problema não está relacionado só à reconstrução do patrimônio, mas da cultura e da economia também. A agilidade no tombamento vai fortalecer a ação", diz o presidente do Iphan, Luiz Fernando Almeida.

O centro histórico já havia sido tombado em 1982 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). O tombamento de toda a área urbana passou a ser preparado pelo governo federal para receber recursos do Programa de Aceleração do Crescimento das cidades históricas, que hoje contempla 170 municípios. A tragédia acabou antecipando o processo, cuja apresentação não tinha data para ocorrer.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre: Iphan

    Leia tudo sobre: iphanpatrimônio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG