IPC-Fipe sobe 0,33% em maio, alimentos páram de cair

SÃO PAULO (Reuters) - A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo acelerou apenas ligeiramente em maio. Os custos de Habitação e Alimentação deixaram as quedas para trás, mas foram contrabalançados pelos de Despesas Pessoais e Saúde, que diminuíram o ritmo de alta. O indicador subiu 0,33 por cento no mês passado, ante alta de 0,31 por cento em abril, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta terça-feira.

Reuters |

Analistas consultados pela Reuters esperavam taxa de 0,30 por cento para maio, de acordo com a mediana de 18 estimativas que variaram de 0,27 a 0,35 por cento.

Os preços do grupo Alimentação tiveram variação positiva de 0,07 por cento em maio, após caírem 0,26 por cento em abril. Os de Habitação subiram 0,19 por cento, seguindo a queda anterior de 0,04 por cento.

Os custos de Despesas Pessoais, que estão refletindo o reajuste dos cigarros, tiveram elevação de 1,68 por cento, abaixo do avanço de 1,92 por cento de abril.

Os preços de Saúde, impactados pelo reajuste dos remédios, apresentaram alta de 0,75 por cento em maio, ante 1,86 por cento em abril.

O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo de famílias com renda até 20 salários mínimos.

(Por Vanessa Stelzer)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG