Investigação suspende cremação de corpo de professora

Telma Fontoura foi encontrada morta na segunda-feira no litoral do Paraná

Agência Estado |

A cremação do corpo da psicóloga e professora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) Telma Fontoura, de 53 anos, sobrinha do ator Ary Fontoura e filha do ex-secretário de Saúde do Paraná Ivan Fontoura, foi suspensa no fim da tarde desta terça-feira, por ordem judicial, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública, para que sejam realizados novos exames pelo Instituto Médico Legal, em Curitiba.

O corpo da professora foi encontrado por volta do meio-dia de segunda-feira, em uma cova com cerca de dez centímetros de profundidade nas areias do Balneário Shangri-lá, em Pontal do Paraná, no litoral paranaense. Ela estava desaparecida desde as 16h30 de domingo.

O delegado de Pontal do Paraná, José Antonio Zuba de Oliva, se limitou a dizer nesta terça-feira que "a polícia pode chegar ao autor". No dia do encontro do corpo, a polícia disse que a psicóloga apresentava sinais de estrangulamento. Um primeiro exame foi realizado no Instituto Médico Legal em Paranaguá, mas os laudos não foram divulgados.

Como fazia com frequência, ela havia descido ao litoral na quinta-feira e foi passear sozinha à beira do mar no fim da tarde. Por não ter retornado, a polícia e pessoas da comunidade mobilizaram-se para procurá-la e encontraram o corpo enterrado na areia e com galhos por cima, em um local ermo a cerca de três quilômetros da casa. Pontal tem aproximadamente 11 mil habitantes, mas no período de férias, a população chega a 50 mil.

Divorciada, Telma era professora da PUC-PR há mais de 27 anos e tinha uma filha de 18 anos. Há cerca de um ano, ela foi uma das organizadoras de um livro sobre Psicologia Jurídica.

    Leia tudo sobre: professoraassassinatotelma fontoura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG