Investigação sobre Fundação Sarney continuará, diz MP

Representantes do Ministério Público (MP) afirmaram ontem que, fechada ou aberta, a Fundação José Sarney será obrigada a se explicar sobre irregularidades em suas contas, dentre elas a suspeita de desvio de verba repassada pela Petrobrás. A titular da Promotoria Especializada em Fundações e Entidades de Interesse Social de São Luís, Sandra Mendes Elouf, disse que a responsabilidade pelos desvios continuará a ser investigada mesmo que a entidade seja fechada, como o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), anunciou ontem.

Agência Estado |

"Eu desconheço oficialmente essa decisão de fechar a fundação, mas, se ela realmente for extinta, os procedimentos continuarão a tramitar e as responsabilidades continuarão a ser investigadas", afirmou Sandra. Em julho, a promotora concluiu a análise das contas de 2004 a 2007 da entidade e anunciou sua intervenção - que não ocorreu até hoje porque os representantes da fundação procuraram o MP e prometeram que, em novembro, os integrantes do Conselho Curador seriam substituídos. "Diante disso, resolvemos aguardar."

O Ministério Público Federal (MPF) informou que o anunciado fechamento da fundação não altera as investigações que estão em curso. Desde agosto, o procurador da República no Maranhão, Regis Richael Primo da Silva, investiga o desvio de recursos públicos da fundação. O processo já tem 17 volumes e apura o destino dos recursos da Petrobras no projeto cultural da entidade criada por José Sarney. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG