O PSDB decidiu entrar com tudo na internet e suas ferramentas no evento de lançamento da candidatura de José Serra à Presidência da República neste sábado. Vinte monitores de LCD vão exibir os twitters do ex-governador paulista e de líderes tucanos, do PPS e do DEM. Haverá ainda 20 computadores para público twittar na hora.

O lançamento de Serra está marcado para as 9 horas, no Centro de Convenções e Eventos Brasil 21. São esperados mais de 2 mil militantes do PSDB de todo o Brasil. A Comissão Executiva Nacional está custeando hospedagem em Brasília e ajudando a organizar o transporte das pessoas. Os gastos previstos já passam de R$ 300 mil.

O You Tube e os sites de relacionamento, como Orkut e Facebook, também terrão super exposição. Além disso, como ocorreu nos eventos de lançamento de Dilma Rousseff (PT) e de filiação de Marina Silva ao PV, haverá transmissão ao vivo pela internet das primeiras palavras de José Serra como candidato ao Planalto.

Foi contratada uma empresa especializada em eventos promocionais. Chama-se Mix Brand Experience. Tem sede em São Paulo e pertence ao publicitário Paulo Giovanni. A supervisão geral, porém, ficará com Luís Gonzáles, marqueteiro de confiança de Serra. Ele atuou nas campanhas de Geraldo Alckmin, em 2006, para a presidência, e de Gilberto Kassab, para a Prefeitura de São Paulo.

A aposta na internet partiu do presidente do PSDB e coordenador-geral da campanha de Serra, senador Sérgio Guerra (CE). Ele não é usuário frequente da rede mundial de computadores, mas em conversas com assessores tucanos definiu como fundamental a apresentação de um candidato moderno e cibernético.

Eduardo Graeff, atualmente tesoureiro do PSDB, é um dos principais entendidos em internet dentro do partido. A avaliação dos tucanos é que a rede mundial de computadores é o principal veículo para propagar ideias e promover discussões em grupos.

No fim de fevereiro, o PSDB contratou a Loops, empresa especializada em mobilização online cujos sócios proprietários são João Falcão e Arnon de Mello, filho do ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTB-AL).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.