Instituto do Câncer de SP terá prontuário digital

Em menos de dois segundos, o histórico clínico do paciente surge numa tela de 14 polegadas. Ali estão todas as informações do prontuário médico, com direito a medicação prescrita, fotos e imagens de exames, como ressonâncias magnéticas e tomografias.

Agência Estado |

Até o final do ano, 150 aparelhos como este - chamado de prontuário digital móvel - vão estar disponíveis no Instituto do Câncer de São Paulo, aberto há três meses na zona oeste da capital.

O hospital será o primeiro do País a utilizar a tecnologia e para isso pretende investir R$ 750 mil na compra dos equipamentos. Em outubro começam a chegar as primeiras unidades. "A economia em papel, tempo e menor possibilidade de erros vai ser sentida com o tempo", diz o o diretor de Tecnologia de Informação e Infra-estrutura do hospital, Erico Bueno.

Com menos de 1,5 kg e 2 centímetros de espessura, o prontuário móvel digital funciona como um computador pessoal e acompanha o médico por onde ele for. Para acessar o conteúdo do histórico do paciente, que também funciona por comando de voz, é preciso apenas passar um leitor de código de barras em uma pulseira presa ao braço do doente. "Todo o paciente que chega ao hospital tem sua história cadastrada online e a consulta dos dados permite a análise de sua evolução", afirma Bueno.

Câmera digital

O prontuário, com uma câmera digital embutida, permite fazer fotos dos pacientes e disponibilizá-las online . Outra facilidade é a possibilidade de prescrição, também online, de medicamentos. Assim que uma droga é prescrita pelo médico, a informação chega aos enfermeiros, encarregados de fazer a medicação. Uma caneta digital dá ao médico não só a possibilidade de prescrever o remédio como também fazer anotações sobre as condições clínicas do doente.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG