Instituto do Câncer de São Paulo integra ecografia à rede wireless

A equipe de Tecnologia da Informação (TI) do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira desenvolveu a integração do sistema wireless a um equipamento de ultra-sonografia portátil. A idéia foi dispensar o cabo para enviar imagens dos exames para o banco de dados da entidade, atendendo os pacientes graves no leito.

Agência Estado |

Segundo o engenheiro Vilson Cobello, um dos responsáveis pela adaptação, a transmissão de dados só foi possível porque toda a estrutura do Instituto foi preparada para permitir o uso da tecnologia wireless. A adaptação, inédita nos hospitais brasileiros, de acordo com o profissional, está sendo utilizada em pacientes desde o dia 25 de agosto, após uma fase bem sucedida de testes.

Em hospitais onde ela não está totalmente implantada, os aparelhos de ultra-sonografia e raios X, mesmo portáteis, exigem que a sala onde é feito o exame tenha um ponto de rede. Isso muitas vezes limita o uso do equipamento e com isso reduz a agilidade na realização dos exames e na obtenção dos resultados.

Vilson e a equipe de TI fizeram a adaptação do ultra-som usando uma placa wireless - um investimento de aproximadamente R$ 150. Depois de configurado, basta ligar o equipamento à energia elétrica e ele estará pronto para realizar exames, seja em unidades de terapia intensiva, em leitos, em consultórios ou até mesmo nos corredores do hospital.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG