Instalação da CPI da Petrobras é adiada pela 3ª vez

Pela terceira vez, a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras foi adiada. Não houve quórum para que o senador Paulo Duque (PMDB-RJ) abrisse a sessão da comissão.

Agência Estado |

Era necessária a presença de, no mínimo, seis senadores, mas só quatro apareceram - três da oposição e Duque. O peemedebista deixou os senadores de oposição falarem por mais de uma hora para reclamar da decisão da base governista de não aparecer à sessão da CPI e, com isso, impedir a sua instalação.

Há 25 dias, o requerimento de criação da CPI foi apresentado à Mesa Diretora do Senado. A base governista já tinha manifestado desde ontem a intenção de não comparecer à sessão para impedir a instalação. O impasse envolve a CPI das Organizações Não-Governamentais (ONGs), que tinha inicialmente o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) como relator. No entanto, ele abriu mão do cargo para assumir uma vaga de titular na CPI da Petrobras.

Com isso, o presidente da CPI das ONGs, Heráclito Fortes (DEM-PI), nomeou o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), para a relatoria. Mas os governistas não concordam em deixar o cargo com a oposição e querem resolver a questão antes das definições sobre a CPI da Petrobras. O senador Paulo Duque não marcou data para nova tentativa de instalação da CPIs, mas a sessão deve ocorrer na próxima semana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG