Em setembro, a Amazônia Legal teve 587 quilômetros quadrados de floresta desmatados, segundo o relatório divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Os números do sistema Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter) mostram leve redução do ritmo do desmatamento em relação a agosto, quando 756 quilômetros quadrados de mata foram derrubados.

Em julho, a área devastada havia sido de 323 quilômetros quadrados.

O Estado com maior área desmatada em setembro foi Mato Grosso, com 216,3 km² de floresta derrubados. O Pará, que tinha o maior espaço desmatado em agosto (435,3 km²), reduziu a área desmatada para 126,8 km². Em setembro, no entanto, 63% do território paraense esteve coberto por nuvens, o que pode ter impedido a observação pelos satélite do Deter de outras áreas degradadas. Em agosto, apenas 24% do Estado estava coberto por nuvens.

Nos últimos 12 meses, o Deter apontou 8.657 km² de alertas de desmatamento, sendo Mato Grosso o Estado que mais desmatou - 4.696 km². O Inpe considera áreas desmatadas aquelas que sofreram corte raso, ou seja, desmate completo, e as que passam por degradação progressiva, em processo de desmatamento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.