Infraero aguarda laudo para se pronunciar sobre denúncias em acidente da TAM

BRASÍLIA- A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) informou nesta sexta-feira que não irá se pronunciar sobre o laudo do Instituto de Criminalística de São Paulo, que aponta a estatal como uma das principais responsáveis pelo acidente com o Airbus da TAM que deixou 199 mortos em julho de 2007 em Congonhas. Por meio de sua assessoria, a empresa alega que aguardará notificação oficial.

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

O documento aponta falhas ainda da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), da TAM, dos pilotos e da fabricante do avião. Após 16 meses de investigação, os peritos do Instituto de Criminalística concluíram que no dia da tragédia a pista do aeroporto de Congonhas estava molhada e escorregadia.

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, o laudo aponta ainda que a Infraero liberou o aeroporto para operar sem grooving (ranhuras que ajudam no escoamento da água), e que os técnicos da estatal deixaram de seguir normas internacionais de gerenciamento da pista.

Medições realizadas na semana seguinte à tragédia revelaram que a textura superficial do asfalto estava em 0,6mm, abaixo do 1mm exigido para pavimentos novos e pouco acima do mínimo de 0,5mm determinado pelas normas aeronáuticas vigentes.

O parecer será enviado a Polícia Civil, que irá apontar os responsáveis remetendo o inquérito ao Ministério Público.

Leia mais sobre: acidente da TAM

    Leia tudo sobre: acidente aviãoacidente tam

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG