Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A indústria paulista continuou contratando em abril, de maneira generalizada entre os setores, segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgada nesta terça-feira.

Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A indústria paulista continuou contratando em abril, de maneira generalizada entre os setores, segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgada nesta terça-feira.

Com ajuste sazonal, o nível de emprego no setor diminuiu 0,56 por cento em abril em relação a março, a primeira queda desde agosto, mas sem o ajuste houve aumento de 1,27 por cento, com a abertura de 28.500 vagas.

A queda do número ajustado deveu-se a uma abertura de empregos no setor sucroalcooleiro menor que nos anos anteriores, explicou Paulo Francini, diretor econômico da Fiesp, prevendo que em maio o dado volte a ser positivo.

"O emprego na indústria continua em ascensão. O nível do emprego está subindo em vários setores, então não vamos dar importância a esse número negativo, porque a forma como ele é composto, com aumento generalizado entre os setores, nos dá tranquilidade", disse Francini.

Dos 22 setores pesquisados, 19 tiveram contratações em abril, um informou demissões e dois relataram estabilidade do emprego.

O emprego na indústria paulista atingiu o piso no final de 2008, logo após o colapso do Lehman Brothers, e em 2009 apresentou recuperaçãdo a partir da segunda metade do ano. O setor, no entanto, ainda não voltou aos níveis pré-crise mundial.

SETORES

A Fiesp acrescentou que em abril os destaques de aumento de emprego foram os setores de Fabricação de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis --que inclui álcool--, com expansão do emprego de 8,3 por cento, seguido por Produtos Alimentícios --que inclui açúcar--, com avanço de 4,8 por cento.

O setor sucroalcooleiro foi responsável por 47,3 por cento das vagas abertas em abril, sem ajuste sazonal. No entanto, esse número é inferior ao de anos anteriores.

"Em maio, o número de emprego (com ajuste sazonal) será positivo. O setor sucroalcooleiro estabiliza depois de maio e depois disso começa a cair, com maior intensidade no fim do ano", disse Francini, lembrando o comportamento sazonal do setor.

O emprego industrial paulista acumulou entre janeiro e abril avanço de 4,96 por cento, o equivalente a 107.500 novos postos.

Em outro relatório divulgado nesta terça-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o emprego na indústria brasileira cresceu 0,7 por cento em março sobre fevereiro, no terceiro mês de alta.

Em relação a igual mês de 2009, o emprego avançou 2,4 por cento, maior taxa desde agosto de 2008.

Destacaram-se os setores de Alimentos e bebidas, Máquinas e equipamentos, Têxtil e Calçados e couro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.