Cerca de 40 índios da tribo Araribá mantêm desde a noite de quinta-feira cinco funcionários reféns na unidade da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Bauru, no interior de São Paulo. O protesto dura mais de 22 horas.

Segundo a Polícia Militar, os índios, que vivem na região de Bauru e Avaí, querem impedir o fechamento da unidade da Funai em Bauru e a transferência dos serviços para Itanhaém, no litoral paulista.

"Essa reivindicação é antiga. Desde 2007 os índios fazem protestos contra a decisão de transferência da Funai", disse o policial militar Willian Carlos Pandovini. Os índios aguardam uma autoridade da Funai para encerrarem a manifestação. De acordo com a PM ninguém ficou ferido e os reféns passam bem. A assessoria de imprensa da Funai foi procurada, mas não retornou as ligações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.