Índios afirmam que estão sendo ameaçados de morte por pistoleiros em Alagoas. Funai é contra a ocupação e busca uma saída pacífica

selo

Cerca de 80 famílias de índios - das tribos Karapotó e Xucuru/Kariri - denunciam que estão sendo ameaçadas de morte por pistoleiros a serviço de um fazendeiro da região Sul de Alagoas. Eles ocupam, desde o início da semana, a fazenda Salobra, no município de São Sebastião.

Os Karapotó e as demais etnias alegam que a fazenda ocupa uma área tradicionalmente indígena. Segundo o cacique Francisco José Lourenço da Silva - conhecido por Chiquinho Karapotó - a atual reserva não é suficiente para acolher as etnias existentes no município. Por isso, as tribos não tinham outra alternativa senão invadir a fazenda que já pertenceram a eles.

"As terras que restaram não dão para plantar e alimentar as aldeias. Estamos sem lugar para plantar", reclamou o cacique. "Estamos passando necessidade. Nossos filhos estão doentes. Não dá para ter mais de dois caciques em uma mesma área", disse o cacique Jorge Barnabé, que também integra a tribo Karapotó.

A coordenação da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Alagoas é contra a ocupação e busca uma saída pacífica para o impasse. De acordo com o coordenador do órgão, Frederico Campos, a fazenda não é reconhecida como terra originalmente indígena, embora os índios reivindiquem a área como se fosse deles. Segundo Campos, os Karapotó foram enganados quanto à origem das terras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.