Tamanho do texto

Cerca de 700 índios de 20 Estados, acampados na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, serão recebidos amanhã pelos presidentes do Congresso, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), e da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP). Falarão em nome do grupo quatro líderes indígenas.

Eles buscam apoio no Legislativo para a aprovação do Estatuto dos Povos Indígenas, há 13 anos parado no Parlamento, e à criação de um conselho nacional de política indigenista.

Para o cacique Marcos Luidson de Araújo, mais conhecido como Marcos Xucuru , o Estatuto dos Povos Indígenas não anda no Congresso por contrariar os interesses de muitos parlamentares. "Grande parte deles (congressistas) são possuidores de terras ou estão aliados a grandes empresários e latifundiários que podem se sentir prejudicados com a aprovação do estatuto."

Marcos Xucuru afirmou ver manobras para fragmentar a discussão. "Queremos que todas as questões indígenas sejam discutidas no estatuto. Só assim, teremos nossos direitos reconhecidos", disse. "Não aceitaremos discussões isoladas, queremos a aprovação do estatuto na íntegra." Os povos indígenas esperam que o debate avance no Congresso após a audiência com Garibaldi e Chinaglia. Caso contrário, "o acampamento deverá permanecer na Esplanada dos Ministérios", disse. "Vamos tornar público o descaso dos parlamentares, queremos chamar a atenção da sociedade brasileira para este problema real", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.