DISTRITO DE SURUMU (TERRA INDÍGENA RAPOSA SERRA DO SOL) - Indígenas aliados aos produtores de arroz da Terra Indígena Raposa Serra do Sol (RR) já adotam um discurso mais ameno diante da possibilidade de não-índios terem que deixar a reserva por uma eventual decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo lideranças desse grupo, os indígenas já estudam alternativas econômicas para o trabalho nessas comunidades.

Já plantamos feijão, milho, e mandioca e acreditamos que podemos produzir também o arroz, com parceria. É viável, afirmou osé Brazão, coordenador da Aliança de Integração e Desenvolvimento das Comunidades indígenas de Roraima (Alidici) .

A entidade representa, juntamente com a Sociedade dos Índios Unidos em Defesa de Roraima (Sodiurr), os indígenas que acreditam que é possível a convivência pacífica com os produtores de arroz na área de 1,7 milhão de hectares.

Diferentemente de alguns meses atrás ¿ quando havia troca de ameaças constantes entre índios favoráveis e contrários aos arrozeiros ¿, o clima na Vila Surumu, onde os grupos estão divididos por apenas uma rua, está mais tranqüilo.

Confronto da nossa parte não vai existir mais. Já mostramos ao Brasil a realidade dessa área de fronteira, e a nossa preocupação com a questão econômica na reserva, disse Brazão.

Segundo o líder, muitos índios trabalham nas fazendas de arroz e a parceria da sua entidade com os produtores realmente é muito grande. Tanto a Alidici quanto a Sodiurr passarão nos próximos meses por processo de renovação das diretorias.

Leia também:

Leia mais sobre: Raposa Serra do Sol 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.