BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Tarso Genro, negou nesta segunda-feira que a possibilidade de indiciamento do delegado da Polícia Federal (PF) Protógenes Queiroz, que presidiu o inquérito sobre a Operação Satiagraha, possa prejudicar as investigações sobre supostos crimes envolvendo o Grupo Opportunity.

"As investigações em relação àquele caso do Daniel Dantas (sócio-fundador do Grupo Opportunity) continuam sendo feitas", afirmou ele, após participar de encontro com o prefeito eleito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), na sede da Fundação Getúlio Vargas (FGV), onde funciona o grupo de transição para o governo municipal.

"Provavelmente nos próximos dias já serão apresentadas, não interrompendo nada. Pelo contrário são de natureza técnica, discreta e profunda, e continuam em andamento", disse.

O ministro negou que haja qualquer tipo de interferência nas investigações. "Pelo contrário, isso dá tranqüilidade para os policiais e para a sociedade. Porque se vê que a Polícia Federal também cuida dos seus, se eles cometem algum erro. Se o delegado Protógenes não cometeu nenhum erro, sairá fortalecido. Se cometeu, vai responder perante a Justiça", declarou.

O ministro e o prefeito eleito se reuniram para discutir detalhes em relação às verbas do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.