Indiciado mais um deputado de AL suspeito de fraude

O deputado estadual Temóteo Correia (DEM) prestou hoje um novo depoimento à Polícia Federal (PF) em Alagoas no inquérito da Operação Taturana, que investiga do desvio de R$ 280 milhões da Assembléia Legislativa do Estado. O parlamentar foi ouvido já na condição de indiciado.

Agência Estado |

Ele é acusado de ter contraído empréstimo irregular na rede bancária, usando a verba de gabinete como garantia e o aval da assembléia.

Segundo o delegado Jandelyer Gomes, que preside o inquérito, Correia foi indiciado por peculato, lavagem de dinheiro, crime contra o sistema financeiro nacional e formação de quadrilha. "Todos que estão sendo chamado de novo serão ouvidos já como indiciados", afirmou. Mesmo assim, o deputado disse que não acreditava nessa possibilidade.

Ele chegou à sede da PF em Maceió acompanhado do advogado Joanísio Pita. Ao ser abordado pela imprensa, Correia afirmou que fora intimado para ser ouvido no dia do seu aniversário, mas mesmo assim compareceu à PF na tentativa de provar sua inocência. "Acredito piamente que não serei indiciado", disse o parlamentar, acrescentando que "sempre atuou dentro da legalidade".

"Não sei do que estou sendo acusado. O que sei é o que vem sendo ventilado na imprensa", afirmou Correia. Ele disse também que esperava ser tratado com Justiça, como nas duas outras vezes em que esteve na PF. "Não tenho nada a esconder ou a temer."

Outros depoimentos

A PF também ouviu hoje o ex-deputado e candidato a vereador por Maceió Adalberto Cavalcante (PTdoB). Segundo o delegado, o ex-parlamentar também foi indiciado, porque incluiu vários parentes na folha de pagamento da Assembléia Legislativa alagoana, como de fossem funcionários da Casa. Cavalcante chegou à sede da PF acompanhado do advogado Marcelo Brabo, mas não quis falar à imprensa.

O ex-deputado Francisco Carvalho (PSDB), o Chicão, também esteve na sede da corporação para prestar depoimento. Ele foi convocado pelo delegado Janderlyer Gomes já na condição de indiciado, mas declarou que não sabia sequer os motivos da nova intimação. O delegado da PF afirmou que espera entregar o inquérito da Operação Taturana na terça-feira à Justiça Federal, denunciando pelo menos 15 dos 27 deputados estaduais alagoanos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG