Indiano ganha prêmio britânico Man Booker com romance de estréia

Londres, 14 out (EFE) - O escritor indiano Aravind Adiga ganhou hoje o prêmio de ficção em língua inglesa Man Booker, o de maior prestígio no Reino Unido, com seu primeiro romance, The White Tiger (O Tigre Branco, em tradução livre). Adiga, de 33 anos, narra em seu livro a vida de um motorista de rickshaw na Índia, que se debate entre ser um filho leal e seu desejo de prosperar na vida. Ao anunciar o ganhador esta noite, em cerimônia em Londres, o presidente do júri, o ex-ministro conservador Michael Portillo, disse que o que destaca The White Tiger é sua originalidade, refletindo o lado obscuro da Índia. Em edições passadas, o prêmio, que vale 50 mil libras, pouco mais de US$ 87 mil, foi para escritores conhecidos como o sul-africano J.M.

EFE |

Coetzee (Prêmio Nobel de Literatura em 2003), o anglo-indiano Salman Rushdie e a canadense Margaret Atwood.

Adiga é o segundo ganhador mais jovem do prêmio, após Ben Okri, que também levou o Man Booker, em 1991, com 32 anos.

O jovem escritor indiano venceu outros cinco finalistas, o australiano Steve Toltz, por "A Fraction of the Whole"; o irlandês Sebastian Barry, por "The Secret Scripture"; o indiano Amitav Ghosh, por "Sea of Poppies"; a inglesa Linda Grant, por "The Clothes on Their Backs", e o inglês Philip Hensher, por "The Northern Clemency".

Cada um dos finalistas ao Man Booker, que em 2007 foi concedido a "The Gathering", de Anne Enright, recebe 2.500 libras (US$ 4.359).

Segundo Amazon.co.uk, os seis finalistas tiveram aumento de 700% nas vendas após o lançamento da lista final no último mês. EFE ep/mai/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG