Aliado histórico do PMDB de Mato Grosso do Sul, o PSDB local pode lançar candidatura própria para o governo do Estado se o governador André Puccinelli, que vai buscar a reeleição, decidir subir no palanque da petista Dilma Rousseff. Neste caso, os tucanos já definiram que quem disputará o pleito estadual será a senadora Marisa Serrano.

De acordo com o presidente do PSDB-MS, deputado estadual Reinaldo Azambuja, o partido vai esperar a definição do cenário nacional - a confirmação da candidatura à Presidência do governador de São Paulo, José Serra - para tomar uma posição, o que deve ocorrer até o final de março. Ele acredita que um racha entre as duas legendas é menos provável que uma aliança, mas não descarta a candidatura própria do PSDB. "Temos uma rivalidade histórica com o PT no Estado, mas Marisa será nossa candidata se for preciso", disse. Um eventual candidato a vice-governador sairia do chamado Bloco Democrático e Reformista, formado por PSDB-DEM-PPS.

A senadora, por sua vez, reiterou que a prioridade é dar palanque a José Serra no Estado. O PSDB tem uma aliança de 12 anos com o PMDB no Mato Grosso do Sul, mas não vai correr o risco de ficar sem vitrine para seu principal candidato. "Ainda estamos conversando. Ainda há muita negociação pela frente, mas o objetivo maior é dar espaço para o governador José Serra", disse.

Enquanto isso, Puccinelli envia sinais ambíguos a seus eventuais parceiros de campanha. No final do ano passado, durante uma visita de Serra ao Estado, o governador deixou entender que apoiaria o tucano. Já na semana passada, ele chamou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de estadista e mencionou a disposição em ser parceiro nas eleições de outubro. ""Não há divergências (...) O noivo está de cravo branco na lapela", afirmou durante discurso de inauguração do complexo industrial da Fibria/International Paper, em Três Lagoas.

No mesmo evento, contudo, Lula disse que não haverá
palanque duplo na campanha presidencial da ministra Dilma Rousseff, nos Estados onde PT e PMDB não chegarem a um acordo para lançar um candidato único. No Mato Grosso do Sul, uma ala do PT quer lançar a candidatura de José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, ex-governador do Estado.

Marisa Serrano concorreu ao governo sul-mato-grossense em 2002 e perdeu justamente para Zeca do PT. Nas pesquisas de intenção de voto realizadas no Estado ela aparece em terceiro lugar. Embolados nas duas primeiras posições estão Puccinelli, com ligeira vantagem, e Zeca do PT.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.