Incêndio mata criança e funcionária de abrigo no Paraná

Varias crianças foram retiradas do abrigo sem ferimentos, mas a queda do teto do imóvel atingiu o bebê

AE |

selo

Duas pessoas morreram nesta quarta-feira, em consequência de incêndio em um abrigo para crianças em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba. Uma menina, de apenas um ano de idade, foi carbonizada, enquanto uma funcionária de empresa terceirizada da prefeitura, Cacilda de Oliveira Nogueira, de 44 anos, acabou morrendo enquanto era atendida na unidade de saúde. O laudo apresenta como causas queimaduras na face, insuficiência respiratória e inalação de gás carbônico. Um policial civil também precisou de atendimento médico.

Segundo a prefeitura, no abrigo estavam 16 crianças que tinham sido retiradas das famílias, por ordem da Justiça, devido à situação de risco em que viviam. Policiais que atenderam a ocorrência afirmaram que o fogo foi provocado, provavelmente, por um curto circuito. Um menino teria chutado uma bola contra uma lâmpada, e o fogo começou no forro de madeira. As pessoas somente perceberam o incêndio quando partes do forro em chamas começaram a cair e alastrar-se pelas divisórias que também eram de madeira.

Voluntários e policiais ajudaram na retirada das crianças. A casa fica em frente à delegacia. Segundo as informações, Cacilda foi quem mais permaneceu dentro da casa durante o trabalho de retirada das crianças. A menina que morreu estava em um quarto cujo teto desabou quando policiais tentavam chegar ao local. A prefeitura já tem um novo abrigo que estava apenas recebendo acabamento para remoção das crianças, o que aconteceria em aproximadamente um mês. A Justiça autorizou que, emergencialmente, as sobreviventes sejam alojadas em uma creche. De acordo com a prefeitura, todas passaram por consulta médica em Curitiba logo após o incêndio.

    Leia tudo sobre: incêndioorfanato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG