Impressão de votos é retrocesso, diz Jobim

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou hoje que vai sugerir ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que vete o artigo aprovado pela Câmara, que obriga a impressão de 2% dos votos, hoje exclusivamente registrado nas urnas eletrônicas. O procedimento valeria para eleições a partir de 2014 e serviria para uma eventual auditoria do resultado.

Agência Estado |

Jobim classificou a proposta de "um retrocesso".

Outro ponto aprovado pelo Congresso é de difícil implementação, segundo o ministro, é o voto em trânsito para presidente da República. O eleitor poderá, mesmo que não esteja em seu domicílio eleitoral, participar da eleição presidencial. Jobim argumentou que o principal mérito do sistema atual é a segurança e disse que ao estabelecer o voto em trânsito, o TSE precisaria montar uma rede de computadores. Isso, de acordo com ele, poderia tornar a votação alvo de hackers.

O texto da minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso, precisa ser sancionado e publicado no Diário Oficial até o dia 2 de outubro para valer para as eleições de 2010.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG