Impasse atrasa julgamento de ação contra Moreira

Um insólito detalhe contribui para que o deputado Edmar Moreira (DEM-MG), ex-corregedor da Câmara, se mantenha providencialmente a salvo de ação penal por crime contra a ordem tributária. Acusado de sonegar ao Fisco R$ 244,79 mil, ele foi denunciado pela Procuradoria da República em São Paulo por violação ao artigo 2.º da Lei 8.137/90.

Agência Estado |

A denúncia, amparada em autuação da Receita, foi recebida em dezembro pela 8.ª Vara Federal. Até aí tudo bem, não fosse o pormenor de que o caso deveria ter sido encaminhado diretamente ao Supremo Tribunal Federal, corte que detém competência para processar parlamentares.

O deslocamento dos autos para o STF não ocorreu pelo curioso fato de que a procuradoria e a Justiça desconheciam que o Moreira denunciado é o deputado do castelo Monalisa. Não há dúvidas de que é a mesma pessoa - mostra consulta ao CPF -, mas na rotina de papéis, certidões e carimbos dos tribunais as coisas não são tão simples assim.

Com cautelas de praxe, a Justiça agora pediu à procuradoria que se manifeste. Quando tiver comprovação de que não está diante de homônimos, a Justiça mandará tudo para o STF - em setembro começa a prescrever o prazo para punição. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: edmar moreira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG