O Departamento de Polícia Técnica da Bahia (DPT) ainda não sabe qual procedimento usar para fazer o reconhecimento das vítimas do acidente aéreo que matou 15 pessoas na noite de sexta-feira, 22, em Trancoso, litoral daquele Estado. A identificação poderá ser feita por meio de exames de DNA ou pela análise da arcada dentária.

Segundo Talita Brito, assessora de comunicação do DPT, só quando todos os corpos forem retirados dos escombros do bimotor turboélice, modelo King Air 350, e transladados para o IML de Salvador é que se fará a avaliação sobre o método que possibilitará a correta identificação dos corpos. "Como todas as vítimas foram carbonizadas, teremos primeiramente de avaliar em que estado os corpos chegarão ao IML, para depois decidirmos qual procedimento será possível ser aplicado", disse Talita.

Ela completa ainda que a escolha do método vai esbarrar ainda em outras dificuldades técnicas. "Para o (exame de) DNA, teremos de recolher material de outros membros das famílias (das vítimas). Se a opção for (pela avaliação da) arcada dentária, vamos precisar das fichas odontológicas das pessoas."

Não há previsão para o fim das operações de resgate dos corpos em Trancoso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.