Dos 11 corpos que chegaram ao Instituto Médico-Legal (IML) do Rio, vindos da enseada do Bananal, na Ilha Grande, oito foram reconhecidos até o meio dia, mas apenas dois foram oficialmente liberados: Ilza Maria Roland Passareli, 50 anos, e Ricardo Ferreira da Silva, de 28 anos. O corpo de Ilza será cremado segunda-feira, no Rio, e o de Ricardo será transladado para a cidade de Arujá, em São Paulo.

Ricardo estava no grupo de paulistas que passava o réveillon no litoral carioca.

Os outros corpos, embora já reconhecidos por parentes, ainda não tinham sido liberados por dificuldade na identificação oficial. É necessário um documento provando a identificação. Mas, como a documentação da maioria deles não foi encontrada junto aos corpos, é preciso checagem das digitais. Com a ajuda da Secretaria de Segurança de São Paulo, o IML do Rio identificou os corpos de Ricardo além de Luiz Baccin, sua mulher, Cecília Secco Baccin, e o filho Geovani, de 7 anos.

Os outros corpos reconhecidos foi o de Renato Assis Repetto, marido de Ilza Roland; dos sobrinhos-netos dele, Gabriela, 9 anos, e Giovanna Repetto, de 12 anos. Eles permanecerão por mais alguns dias no IML, por decisão da família, conforme explicou Marcelo Repetto, avô das crianças. Eles pretendem esperar que os pais das duas meninas, Marcelo Assis Repetto Filho e Cláudia Reppeto, que sobreviveram ao desmoronamento e estão internados na Clínica São Vicente e no Hospital Copa D'Or, melhorem para se despedirem das filhas.

Ilza, segundo seu irmão Frank Roland, será cremada no Rio. Já Ricardo, de acordo com seu pai Fernando da Silva, será levado para Arujá, na Grande São Paulo. Para a cidade também foi transladado o corpo de sua noiva, Natália Pacheco, que estava no IML de Angra dos Reis. Os dois faziam parte de um grupo de 17 amigos todos da cidade de Arujá, que passavam o réveillon juntos em uma casa alugada na enseada de Bananal. Neste grupo estava também a família Bassin.

Quatro pessoas dos grupo - Flávio Larine, Luiz Henrique Alegre, Gerson Valério e Noemi Valério - conseguiram se salvar por terem sido jogados ao mar. Outros 8 membros do grupo, entre eles um menino de 10 anos, permaneciam desaparecidos até o início desta tarde.

Pela manhã, o IML do Rio recebeu os corpos de dois homens e uma mulher que ainda não tinham sidos reconhecidos. Também estiveram no IML, os tios da Yumi Imanishi Faraci, filha do donos da pousada, à procura do corpo sobrinha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.