IML conclui que não havia necessidade de extração de dentes de jovem de Brasília

BRASÍLIA ¿ O diretor do Instituto Médico Legal (IML) do Distrito Federal, Malthus Galvão, concluiu, nesta quarta-feira, a perícia nos dentes extraídos de Cesar, de 16 anos, e confirmou que houve erro no procedimento. ¿Não tinha necessidade de extração de todos os dentes, só daqueles dois que já estavam previstos¿, afirma.

Lecticia Maggi, iG São Paulo |

O adolescente, que é deficiente, foi à Unidade da Odontologia do Hospital Regional da Asa Norte, em Brasília, acompanhado da mãe parar extrair o 2º e o 3º molares inferiores, no dia 24 de setembro. Porém, ele saiu do local sem nenhum dente. O caso veio a tona no dia 16 de outubro e o dentista Wilson Oliveira, que realizou a cirurgia, foi afastado.

O diretor do IML afirma que foi realizada uma análise minunciosa de radiografias, fotos, além de exame físico no jovem. Nada foi detectado que apontasse para a extração de todos os dentes, confirma.

Galvão, que além de perito também é dentista, afirma que a arcada dentária de César era muito bem cuidada e não havia nenhum sinal de compometimento. Ele é de uma família que cuida bem, a mãe dele ajudava-o a escovar os dentes, e ele já usou aparelho ortodôntico. Tinha uma pequena cárie de menos de 1 milímetro, um pouco de perda óssea, mas coisas mínimas, acrescenta.

O diretor afirma ainda que os dentes que deveriam realmente ter sido extraídos foram os únicos que não foram guardados pela equipe médica. Eles estavam destruídos, por isso, foram desprezados, quem guardou deveria ter interesse em estudo acadêmico e eles não serviam, afirma.

Outro agravante, segundo ele, é que o dentista deveria ter entregue os dentes ao garoto após a cirugia e ficaria a critério dele escolher o que fazer com eles. Houve uma utilização sem autorização da família, diz. Apesar disso, Galvão ressalta que não acredita na possibilidade de um crime premeditado ou intencional e que uma série de erros deva ter culminado no equívoco.

Queremos divulgar o resultado da perícia porque entendemos que ela deve ser transparente e a sociedade tomar conhecimento, acrescenta.

Investigação

O laudo do IML será anexado ao inquérito comandado pelo delegado Laércio Rosseto, que investiga o caso. Se ficar comprovado que teve culpa, o dentista pode ser condenado por lesão corporal grave. 

Foi aberto também processo contra Oliveira no Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal e ele poder perder o direito de exercer a profissão. A chefe da Unidade de Odontologia Regional da Asa Norte foi exonerada do cargo.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal afirmou que, caso seja da vontade do jovem, irá fazer um implante de todos os dentes.

Assista ao vídeo sobre o caso:

Leia mais sobre: saúde


    Leia tudo sobre: dentistaerro médicoimljovem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG