Imazon: desmatamento avança na fronteira do AM

Levantamento independente sobre o desmatamento da Amazônia aponta que o corte raso sofreu uma queda em agosto, atingindo 102 km². Os dados, registrados pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), da ONG Imazon, diferem dos números oficiais do governo, que apontaram aumento da área desmatada.

Agência Estado |

Segundo o pesquisador da ONG, Carlos Souza Jr., os dados preocupantes da avaliação de agosto são do desmatamento no sul do Amazonas.

“O Estado tradicionalmente não é tão crítico. Isso é um sinal de que o problema está avançando para além do arco do desmatamento em direção ao coração do Amazonas. A fronteira está aberta ali.” Enquanto para o Imazon houve uma redução de 63% em relação a julho, para o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ocorreu um aumento de 134%, com 756 km² devastados.

A diferença ocorre principalmente porque o SAD só contabiliza as áreas em que a cobertura florestal foi toda removida. No caso do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) do Inpe, são somadas também as áreas degradadas por fogo ou por corte seletivo de árvores. Segundo Souza Jr., o SAD deve começar a contar no próximo mês a degradação da mata. O pesquisador acredita que os dados de setembro vão representar a “prova dos nove” sobre qual número está mais perto da realidade da devastação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG