Idesp: maioria fica abaixo da meta no ensino fundamental

Mais da metade das escolas estaduais de ensino fundamental do Estado de São Paulo não atingiu as metas de desempenho de alunos fixadas pela Secretaria da Educação para 2008. Segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado (Idesp), divulgado hoje, 59,5% das escolas de 1ª a 4ª série e 55,2% das de 5ª a 8ª série tiveram avaliação abaixo do mínimo estipulado pelo governo para cada instituição de ensino.

Agência Estado |

As metas individuais foram firmadas em 2007, primeiro ano em que se calculou o Idesp. O indicador considera a nota dos alunos na prova do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) e a taxa média de aprovação em cada um dos três ciclos de ensino (de 1ª a 4ª série, de 5ª a 8ª e ensino médio). A intenção é medir quanto e em que tempo os estudantes aprendem o conteúdo repassado pela escola.

A secretária da Educação, Maria Helena Guimarães, informou que, na média do Estado, o Idesp aumentou. A evolução, porém, foi tímida. Em uma escala de zero a dez, a nota média dos estudantes de 1ª a 4ª série subiu de 3,23 em 2007 para 3,25 em 2008. De 5ª a 8ª, de 2,54 para 2,60. E, no ensino médio, de 1,41 para 1,95. A meta da secretaria para 2030 é que todas as escolas do Estado tenham, da 1ª a 4ª série, nota 7 no Idesp; da 5ª a 8ª, nota 6; e, no ensino médio, nota 5. Os patamares aproximariam São Paulo dos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Mesmo com as notas ainda longe do almejado, Maria Helena chamou de "extraordinário" o resultado do Idesp de 2008. "Em educação não existe milagre, tudo é de médio e longo prazo", afirmou. "O que interessa é que as escolas melhoraram em relação ao seu ponto de partida. Ninguém acredita que, em um ano, as escolas se transformem em escolas de primeiro mundo, com o desempenho da Finlândia." O país do norte da Europa a que a secretária se referiu ocupa o primeiro lugar do ranking do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), da OCDE, que compara 57 países.

Pior desempenho

As 379 escolas com pior desempenho no Idesp de 2007 tiveram, ao longo do ano passado, um acompanhamento especial por parte da Secretaria da Educação. O Estado promoveu oficinas pedagógicas e fez melhorias na infraestrutura das instituições de ensino. O resultado foi que 72% dessas escolas de 1ª a 4ª série, 84,4% de 5ª a 8ª série e 99,4% de ensino médio conseguiram cumprir suas metas de desempenho. "É a prova de que é possível melhorar", disse Maria Helena.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG