Ideli diz estar "à disposição" para tratar do caso das lanchas

Ministra, que antes das Relações Institucionais comandou a Pesca, foi convocada pela Câmara para explicar convênio irregular

Valor Online |

Em resposta à sua convocação pela Câmara dos Deputados, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, declarou nesta quarta-feira (11), em nota, que "sempre esteve e se mantém à disposição para todos os esclarecimentos" sobre irregularidades em um convênio de R$ 31 milhões do Ministério da Pesca e Aquicultura para a compra de 28 lanchas-patrulha.

Leia também: Oposição aproveita ‘chochilo’ da base e aprova convocação de Ideli

A Comissão de Fiscalização e Controle aprovou nesta manhã a convocação para que a ministra esclareça o caso. Ainda não há data para o depoimento. Diferentemente de convite, o convocado é obrigado a comparecer à Casa.

Na nota, Ideli reafirmou a defesa que fez na época em que as denúncias foram publicadas, no fim de março. Disse que no período da licitação ainda era senadora e que após assumir o Ministério da Pesca, apenas "executou os contratos e convênios sobre os quais não recaíam quaisquer vetos dos órgãos fiscalizadores".

A ministra disse, ainda, que "não tem relações com a Intech Boating" e que sua campanha não foi diretamente "beneficiada" pela empresa.

Em 2010, antes de Ideli assumir o cargo, o Ministério da Pesca contratou a empresa catarinense Intech Boating para a compra de 28 lanchas - embora o ministério não tenha competência para utilizar essas embarcações, de acordo com denúncia publicada pela imprensa. Naquele ano, a empresa doou R$ 150 mil ao diretório do PT em Santa Catarina, que por sua vez, patrocinou 80% da campanha da ministra Ideli Salvatti ao governo do Estado.

Após perder as eleições, Ideli assumiu a Pesca por cinco meses e, em seguida, passou a comandar a Secretaria de Relações Institucionais.

    Leia tudo sobre: ideli salvattiministério da pesca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG