Idealizador do Troféu Caymmi fala sobre a obra do músico baiano

Aos 55 anos Tuca de Moraes tem motivos para se orgulhar. Foi dele a idéia que em 1986 culminou na criação do Troféu Caymmi, premiação anual que revela talentos da música baiana e ainda procura dar mais visibilidade a artistas veteranos. O idealizador e coordenador do projeto conversou com a reportagem do iG direto da Casa de Cultura Troféu Caymmi, inaugurada no início do ano na cidade de Salvador.

Guss de Lucca |

  • Morre aos 94 anos o compositor Dorival Caymmi
  • Obra de Caymmi ficará viva na memória de todos, diz Lula
  • Famosos e políticos lamentam a morte de Dorival Caymmi
  • Neta de Caymmi relembra os últimos momentos com o avô
  • Veja a galeria de fotos do compositor baiano
  • Compositores falam da importância da obra do artista
  • Bahia e Rio de Janeiro terão luto de três dias pela morte

    Seu primeiro contato com Dorival Caymmi aconteceu após um show de 70 anos do músico, que ocorreu no Shopping Iguatemi de Salvador. "Fiquei encantado com o carisma, a malevolência e a grande sabedoria musical que ele traduziu naquele show", contou Tuca, que naquele momento já tinha a idéia que originou o prêmio.

    "Ele foi muito receptivo conosco, nos recebeu e na ocasião apresentei o projeto. Ele autorizou o uso de seu nome de forma tranqüila e despojada, e nunca cobrou direitos autorais ou qualquer coisa do tipo", afirmou.

    Pouco tempo depois o próprio Dorival Caymmi viria a se apresentar na primeira edição da premiação, onde o mesmo profetizaria que o troféu iria aquecer o mercado estimulando o surgimento de novos talentos. Desde então a cada ano o evento conta com a participação de um membro da família Caymmi, dos quais se destaca Danilo.

    "O Danilo Caymmi sempre foi o nosso embaixador, o padrinho do troféu, como ele mesmo diz. Foi por causa do apoio dele que voltamos a fazer a premiação, que teve um hiato entre os anos de 1996 até 1999, retornando apenas em 2000", explicou Tuca, reforçando o empenho do filho de Dorival em auxiliar o prêmio, muitas vezes cantando sem cobrar qualquer tipo de cachê, como ocorreu na última edição em 2007.

    Além dos próprios Caymmi, ele conta que o Troféu contou sempre com o apoio de artistas de peso como Ivete Sangalo, Margareth Menezes e Daniela Mercury.

    O último encontro

    A última vez que Tuca viu Dorival Caymmi foi em 2006, na homenagem feita ao músico durante o Prêmio Nacional Jorge Amado de Literatura e Arte. De acordo com o criador do Troféu Caymmi, a última imagem que fica é a do imortal.

    "Dorival tem uma imagem atemporal, tais quais são suas composições. A música dele sempre o traduziu e vice-versa. Ele cantou sua vivência, a realidade de um homem sereno, despojado de bens materiais, um verdadeiro Buda Nagô", explicou.

    Como não poderia deixar de ser, Tuca reforçou sua opinião de que Dorival é o maior  músico do país, sendo ele um dos pioneiros na exportação da cultura brasileira para o exterior junto com a Carmem Miranda - cuja biografia foi a  última obra lida por Dorival , de acordo com sua neta Stella Caymmi.

    Pela memória do poeta

    Apesar do Troféu Caymmi já ser uma homenagem clara ao talento do músico baiano, os responsáveis pela Casa de Cultura Troféu Caymmi já estão se mobilizando para preparar novas homenagens.

    "Já está ocorrendo uma mobilização espontânea por parte dos artistas em promover uma homenagem de despedida a Dorival. E logo de início vamos aproveitar a Caravana Caymmi, evento que acontece desde julho todas as sextas, aqui em Salvador, para fazer essa homenagem musical.

    Tuca contou ainda que na última edição do Caranava Caymmi, que aconteceu na noite de ontem, o violonista e compositor porto-riquenho Mario Ulhoa questionou-o sobre o estado de saúde do compositor, num diálogo que "impressionou pela intuição."

    A consultora artística do Troféu Caymmi, Marilda Santanna, aproveitou para relembrar que Dorival foi um dos grandes incentivadores João Gilberto logo em seu primeiro trabalho, o aclamado álbum "Chega de Saudade".

    "No momento em que comemoram os 50 anos da Bossa Nova não podemos esquecer da participação de Dorival Caymmi diante do movimento", disse a pesquisadora e também cantora, que já organizou uma série de saraus temáticos sobre o músico, além de workshops e debates envolvendo sua vasta obra.

    A Casa de Cultura Troféu Caymmi deve preparar outras homenagens além das musicais, principalmente por conta do enorme acervo que o projeto possui. "O Danilo Caymmi nos convidou para levar uma exposição com a trajetória do Troféu Caymmi até o Memorial Tom Jobim, onde há uma mostra sobre a vida e obra de Dorival. Vamos torcer para que isso aconteça", encerrou Tuca de Moraes.

    Serviço:

    Casa de Cultura Troféu Caymmi
    Rua Politeama de Baixo, 57 ¿ Salvador/BA
    Funcionamento: Terça, quinta e sexta-feira das 14h às 18h
    Ingresso: R$ 2,00
    Informações: (71) 3491-1254 e (71) 3267-2822

    • Leia tudo sobre: dorival caymmi

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG