Por Aluísio Alves SÃO PAULO (Reuters) - Uma safra de notícias positivas de empresas e da economia dos Estados Unidos amparou compras de ações na Bovespa, nesta quarta-feira marcada pelo vencimento dos contratos de índice.

Influenciado também pela alta das commodities, o Ibovespa subiu 0,34 por cento, para 71.034 pontos. O giro financeiro, turbinado pelo vencimento de opções do Ibovespa e do índice futuro, somou 11,2 bilhões de reais, o maior do ano.

Resultados trimestrais animadores de gigantes como Intel e JPMorgan Chase ditaram otimismo desde a abertura dos pregões de Wall Street.

Esse movimento foi acelerado após a notícia de que as vendas no varejo dos Estados Unidos subiram mais do que o esperado em março, fazendo o otimismo desaguar também nos mercados de commodities, com impacto indireto na Bovespa.

"O noticiário lá de fora foi amplamente positivo", disse Roberto Alem, economista da M2 Investimentos.

Combinados, esses fatores conseguiram dispersar a volatilidade no início do pregão da bolsa paulista, devido a incertezas envolvendo grandes empresas domésticas.

Uma das fontes de pressão negativa foi Banco do Brasil, que caiu 1 por cento, a 30,55 reais, após a companhia anunciar pela manhã planos de levantar cerca de 8,8 bilhões de reais numa oferta pública primária de ações.

"Isso é negativo no curto prazo, uma vez que as ofertas em questão deverão causar um overhang (excesso) das ações do banco", disse a Ativa Corretora, em relatório.

Já as siderúrgicas recuaram, justamente no dia em que algumas delas anunciaram que planejam reajustes de preços do aço, refletindo o que aconteceu com o minério de ferro.

O papel preferencial da Usiminas caiu 0,53 por cento, para 61,50 reais. Companhia Siderúrgica Nacional perdeu 0,34 por cento, a 35,70 reais.

Já as blue chips tiveram a pressão aliviada devido ao aumento das cotações do petróleo e dos metais. A ação preferencial da Vale ganhou 0,77 por cento, a 51,34 reais.

A preferencial da Petrobras foi elevada em 0,18 por cento, a 34,25 reais, após a companhia ter emitido nota na terça-feira à noite afirmando que espera que o projeto de lei que trata da sua capitalização saia até julho.

Em outra frente, TAM cresceu 2,6 por cento, a 32,42 reais, após dados divulgados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostrarem que a companhia manteve a liderança no mercado doméstico de aviação civil, embora sua margem em relação às concorrentes tenha diminuído.

Por fim, Pão de Açúcar recuperou-se parcialmente do tombo da véspera, quando a varejista admitiu que a Casas Bahia pediu revisão do acordo de fusão firmado em dezembro, subindo 1,8 por cento, para 60,06 reais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.