IBGE: migrantes são 30% da população do Centro-Oeste

Rio de Janeiro - A distribuição da população por grandes regiões do País em 2007 mantém as mesmas tendências verificadas no início da década de 1990, revelando certa estabilidade dos movimentos migratórios brasileiros, segundo mostra a Síntese de Indicadores Sociais, divulgada hoje, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Agência Estado |

A distribuição considera a residência atual, em relação ao lugar de nascimento. A região Centro-Oeste tem em sua composição o menor número de população natural (69,7%) e, conseqüentemente, o maior de migrantes (30,3%), sendo que, desses, 22,8% são provenientes das regiões Nordeste e Sudeste.

Segundos os técnicos do IBGE, "cabe ressaltar que Roraima e Distrito Federal são os dois Estados onde encontram-se os menores percentuais de população natural, acarretando um maior número de migrantes na composição de suas populações residentes".

Em 2007, o total acumulado de migrantes segundo as grandes regiões foi da ordem de 19,7 milhões de pessoas. O grupo de maior peso no contingente de emigrantes brasileiros foi o de nordestinos, com 10,5 milhões (53,5% do total de emigrantes).

O Sudeste continua a ser o maior pólo de atração consolidado dos emigrantes nordestinos, uma vez que 66,7% se dirigiram para esta região. Verificou-se, também, que das 692 mil pessoas que vieram de países estrangeiros no ano passado, 71,6% tiveram como destino a região Sudeste.

Leia mais sobre IBGE

    Leia tudo sobre: ibge

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG