Ibama suspende licenciamento de rodovia do PAC

BRASÍLIA - O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) decidiu suspender por 60 dias o processo de licenciamento ambiental do trecho central da BR-319, que liga Porto Velho a Manaus. A rodovia é uma das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na Amazônia.

Redação com agências |

De acordo com o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, um grupo de trabalho vai analisar a implantação de um bolsão verde em torno da rodovia para amortecer os impactos ambientais da obra.

Segundo Minc, sete unidades de conservação federais já foram criadas em torno da BR-319, mas ainda serão necessárias três unidades de conservação estaduais para proteger a região.

Essa é a área mais preservada da Amazônia e não queremos que vire uma espinha de peixe. Parque de papel não protege nada, só protege a má-consciência, disse o ministro em referência à necessidade de implantação efetiva de unidades de conservação.

Um estudo sobre a viabilidade ambiental do empreendimento deverá incluir como fazer para implantar sete florestas nacionais, já criadas, mas que ainda estão no papel, e mais três florestas estaduais na área.  Caso contrário, segundo o ministro, se não estiver prevista a viabilidade do projeto, não sairá a licença.

"Não somos e nem seremos o carimbador da irresponsabilidade. Essa estrada fica no coração da Amazônia. Se não tiver a garantia de preservação, acho que vai acontecer uma tragédia ambiental sem precedentes", disse o ministro.

Os governos estaduais do Amazonas e de Rondônia e algumas entidades ambientalistas defendem a implantação de uma ferrovia unindo as duas capitais, ao invés da rodovia. O argumento é de que haveria um menor impacto ao meio ambiente. Minc destacou, no entanto, que qualquer que seja a opção, a garantia ambiental será necessária, sem a qual não haverá empreendimento.


Leia mais sobre PAC

    Leia tudo sobre: pac

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG