Ibama estima redução do desmatamento na Amazônia em 23% até agosto

BRASÍLIA - O governo federal inicia nesta segunda-feira diversas ações para combater o desmatamento na Amazônia. Ao todo, são mais de 300 ações reunidas na chamada Operação Guardiões da Amazônia 2009. O objetivo é que, unida à Operação Arco Verde, comandada pela Casa Civil da Presidência da República, a operação culmine na restrição do desmatamento da Amazônia a 9,2 mil quilômetros quadrados até agosto deste ano.

Sarah Barros, Último Segundo/Santafé Idéias |

Atualmente, a marca está em 11,968 mil quilômetros quadrados, segundo dados do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), aproximadamente 23% acima da meta.

O Ibama estima que, desde 2003, a área desmatada da Amazônia já foi reduzida em cerca de 60%, o que representaria uma média de 10% ao ano. A meta é arrojada quando se encara que há desmatamento ilegal e que a redução é progressiva, observa o diretor de Proteção Ambiental substituto do Ibama, Luciano de Meneses Evaristo.

As ações para 2009 foram consolidadas em reunião encerrada na última sexta-feira entre representantes de 14 ministérios, do Ibama e das polícias Federal e Rodoviária Federal.

Segundo Evaristo, fiscais do instituto estão em deslocamento para colocar as ações em prática. Elas serão desenvolvidas em conjunto com a polícia militar nos estados com a presença da floresta amazônica em seu território, da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal.

A união à Operação Arco Verde agrega à iniciativa de fiscalização ações voltadas para aspectos sociais do combate ao desmatamento, como programas articulados junto ao Ministério do Trabalho.

O apoio aos trabalhadores envolvidos em ações predatórias é considerado por Evaristo o principal diferencial nesta fase. "A ideia é dar proteção social aos trabalhadores atingidos pelos crimes ambientais, garantindo assistência às famílias e acesso ao seguro-desemprego", destaca. O Ministério do Trabalho também deve atuar na repressão ao trabalho escravo ou sem registro em carteira de trabalho.

A meta de 9,2 mil quilômetros quadrados faz parte do Plano Nacional de Mudanças Climáticas e visa combater o desmatamento ilegal. "O objetivo final é deixar o desmatamento dentro dos 20% previsto na lei ambiental brasileira, tendo sustentabilidade no uso da floresta", explica o diretor. 

Evaristo garante que a investida do Ibama contra desmatadores será "mais pesada" este ano, focada na apreensão de bens usados no desmatamento. "Quem tiver caminhões alugados no transporte de madeira ilegal, perderá o caminhão. Serrarias ilegais serão fechadas", reforça. Os bens apreendidos poderão ir a leilão e o dinheiro, empregado em programas sociais, como o Fome Zero, ou de fiscalização.

Leia mais sobre Amazônia

    Leia tudo sobre: amazoniaamazônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG