Hospital vai monitorar família de paciente com câncer

A partir da próxima semana, o acompanhamento dos familiares de pacientes com melanoma - o mais agressivo dos tumores malignos de pele, com 6 mil casos por ano no Brasil - passa a ser feito como rotina no Hospital A.C.

Agência Estado |

Camargo, em São Paulo. Hoje, 47 famílias já são acompanhadas como parte de uma pesquisa inédita no Brasil que avaliou mutações genéticas relacionadas ao desenvolvimento desse tipo de câncer. O objetivo é identificar a doença em estágio inicial em integrantes de famílias com dois ou mais casos confirmados.

Com a implantação dessa triagem como rotina no hospital, no Ambulatório de Melanoma Familial, quando os médicos constatarem dois casos de melanoma na mesma família os parentes de primeiro e segundo graus serão chamados para fazer um exame genético. A iniciativa se concretizou a partir de uma pesquisa de doutorado realizada no Laboratório de Oncologia Molecular do hospital.

Após submeter os familiares ao exame de DNA, constatou-se que cerca de 10% deles apresentavam mutação dos genes CDKN2A (o mais frequente), CDK4 e MC1R. “A probabilidade de desenvolver o melanoma em alguma fase da vida em famílias com a mutação identificada chega a ser de 50%”, diz o dermatologista Alexandre Leon, autor da pesquisa. Com o novo procedimento adotado pelo A.C. Camargo, assim que a predisposição genética for identificada nos familiares, eles se submeterão - a cada seis meses - a um procedimento de prevenção, com o exame de mapeamento de pintas e lesões que possam ter pelo corpo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG