Hospital diz que Dilma Rousseff não tem mais qualquer evidência de câncer

BRASÍLIA ¿ O hospital Sírio-Libanês divulgou um comunicado nesta segunda-feira informando que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, já não tem mais sinais do câncer linfático que tratava desde abril. Segundo a nota, o ¿tratamento atingiu o resultado esperado¿ e a ministra ¿encontra-se livre de qualquer evidência de linfoma, com estado geral de saúde excelente, podendo retornar a sua rotina normal¿.

Christian Baines, repórter em Brasília |

Na última quinta-feira, Dilma se submeteu a diversos exames no para avaliar o desenvolvimento do linfoma. A expectativa é que ela passasse por novas baterias de exame nesta semana. Mas não será mais necessário.

A ministra iniciou o tratamento em abril, depois de ter descoberto um nódulo na axila esquerda durante um exame de rotina. Após retirá-lo, passou por sessões de quimioterapia e radioterapia no hospital de São Paulo. Ela deverá passar por avaliações a cada trimestre até completar um ano do final do tratamento.

No inicio do mês, ela havia afirmado em entrevista concedida à rádio Gaúcha, de Porto Alegre, que estava curada do câncer. "Concluí o tratamento de radioterapia. Semana que vem faço os exames e, acho até vou dar um anúncio, que vou antecipar aqui. Do ponto de vista dos médicos, estou curada", disse na ocasião.

Em maio, Dilma teve que ser internada às pressas no hospital Sírio-Libanês, com fortes dores nas pernas, provocadas pelo tratamento.

Leia mais sobre: Dilma Rousseff

    Leia tudo sobre: dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG