Hospital de SP descarta erro médico em lipoaspiração

O Hospital e Maternidade Máster Clin, em São Mateus, zona leste de São Paulo, informou que descarta a hipótese de erro médico como causa da morte de Regiane Aparecida Lopes Bauer, de 27 anos, durante uma lipoaspiração realizada no sábado. A afirmação é de seu porta-voz, o enfermeiro Paulo Sanches.

Agência Estado |

Ela não tinha problemas de saúde e realizou todos os exames pré-operatórios, como tempo de coagulação e glicemia. Orientamos a família e o paciente, porém, de que a cirurgia é agressiva. Não existe cirurgia sem risco, mas ele é pequeno, cerca de 1%, diz.

Sanches afirmou que este é a segunda morte na Máster Clin. A primeira, ocorrido há cerca de cinco anos, também aconteceu durante uma lipoaspiração. O diagnóstico foi embolia (obstrução de vaso), explica o profissional. A clínica realiza cerca de 20 cirurgias de lipoaspiração por mês e, segundo Sanches, os pedidos aumentaram nos últimos cinco anos.

Localizada em um prédio de quatro andares, a Máster Clin abriga uma maternidade e um centro de estética. Sanches lembra que ter uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) não é obrigatório para o estabelecimento. Segundo ele, a família de Regiane ameaçou processar o hospital. Caso isso aconteça, iremos apresentar nossa defesa. Estamos tranquilos e aguardamos a avaliação do Instituto Médico Legal (IML), que irá apontar a causa da morte.

(Com informações do "Jornal da Tarde")

Leia mais sobre: lipoaspiração

    Leia tudo sobre: lipolipoaspiração

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG