Hospital de São Paulo confirma a morte de 5 bebês por infecção

SÃO PAULO - Uma infecção hospitalar foi a causa da morte de cinco bebês prematuros na Santa Casa de Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo. As informações foram passadas pelo provedor do hospital, João Anatalino Rodrigues.

Agência Estado |

Oito bebês morreram entre os dias 1 e 18 de novembro deste ano. De acordo com laudo do Instituto Adolfo Lutz, entregue à Santa Casa nesta semana, a bactéria Klebsiela foi a causadora de 4 destas mortes.

Outro bebê também morreu por infecção hospitalar, mas causada por outra bactéria. As outras três mortes ocorreram por outros motivos.

"A maioria dos bebês que estava na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal era prematura e já apresentava uma patalogia, uma complicação de saúde", explica Rodrigues. "A superlotação, em uma maternidade de alto risco como é a Santa Casa, também contribuiu para os óbitos", considera.

Segundo Rodrigues, a presença da bactéria Klebsiela no berçário foi o que caracterizou a infecção hospitalar. "Ela é muito resistente e não responde a tratamentos por antibióticos. Quando ocorre leva a surtos, como aconteceu agora. Ela aparece de várias maneiras, a própria mãe pode gerar um bebê infectado e quando o bebê nasce e é levado para o berçário pode haver a transmissão da bactéria. É difícil detectar se o bebê está infectado ou não", afirma.

Leia mais sobre: morte de bebês

    Leia tudo sobre: infecçãomorte de bebêssanta casa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG