Honduras barra delegação da OEA e eleva isolamento

TEGUCIGALPA (Reuters) - O governo de facto de Honduras barrou neste domingo a entrada no país de uma delegação da Organização dos Estados Americanos (OEA), aumentando o isolamento do país em meio à elevação da tensão com o Brasil, que dá refúgio ao presidente deposto Manuel Zelaya. O grupo de representantes da OEA tinha a expectativa de tentar costurar uma saída para a crise política no país após o golpe de Estado que derrubou Zelaya, mas foi barrado no aeroporto da capital, Tegucigalpa.

Reuters |

Anteriormente, o governo de facto havia dado um ultimato ao Brasil para definir a situação de Zelaya, que está refugiado na embaixada brasileira na capital desde seu retorno, na última segunda-feira.

Honduras pediu que o Brasil decidisse, em 10 dias, se daria asilo político a Zelaya ou se iria retirá-lo da embaixada para ser entregue às autoridades do país.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na Venezuela, onde participava da reunião América do Sul-África, que o Brasil não respeitará o ultimato "de um governo golpista".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG